01 agosto 2013

Resenha: A Linhagem





Autora: Camila Dornas 
Editora: Novo Século (Selo Novos Talentos da Literatura Brasileira) 
Assunto: Romance sobrenatural histórico 
Sinopse: Londres do século XVIII. A capital da Inglaterra era um dos mais importantes centros do mundo. Vestidos pomposos, elegância e boas maneiras. Um tempo onde as posses e a reputação regiam a sociedade. A igreja possuía poder absoluto e condenava aqueles os quais pesava a suspeita de bruxaria – a arte oculta temida e repudiada pelo senso comum. Nesse cenário intimidador, surge uma mulher especial, com dons inimagináveis. E um destino grandioso... 






Persista!


  Evangeline tem uma vida complicada. Perdeu a mãe cedo e o pai é um homem terrível, incapaz de amá-la verdadeiramente. Passou toda a sua vida em uma luta dentro de sua própria casa, contra o pai violento e ditador, que a batia por motivos insignificantes, contra a irmã "invejosa" e a madrasta submissa. As únicas pessoas que a mostraram o que é amor foram dois amigos (Genevive e Albert) e Morgana, empregada da casa que a acompanhou por toda a vida, cuidando dela e sendo sua única figura maternal. Diante disso, diante de tanto ódio gratuito diário de quem deveria lhe dar amor, Evangeline cresce e se torna uma mulher com barreiras em si, barreiras que são pontas afiadas de proteção que espetam quem ousa atacá-la. Sua personalidade é complexa, com defeitos e qualidades. De início, não a julguei, mas o comportamento dela me incomodou um pouco, pois percebi logo de cara que era vaidosa, orgulhosa e um pouco egoísta em alguns aspectos. Do tipo que se repara demais, colocando-se acima dos outros, achando-se boa demais para quase tudo e todo mundo. Mas depois de conhecer um pouco mais de sua história, compreendi seus motivos. Tudo isso, para mim, foi um modo dela de reagir à vida que teve, aos seus "traumas". E o que posso dizer além disso, ela amadurece no decorrer da trama, o que sempre é algo bom.

  Um dia nessa vida tão "bela", seu pai arruma um casamento para ela com um homem que ela nem conhece, já ditando a ordem de que ela deve casar-se com ele. Evangeline não quer se casar sem amor, com um desconhecido. Ao conhecer seu noivo Hector, suas incertezas são confirmadas. De jeito nenhum se casaria com um homem como aquele, que lhe causava arrepios e exalava frieza e maldade. Este ponto do livro foi ótimo, faz refletir sobre os casamentos arranjados e em como a mulher era vista quase como um produto a ser usado, sem vontade própria, sem sentimentos, que "nem deveria pensar". Evangeline vai contra tudo isso, luta para salvar a própria felicidade, o que é outro ponto bom, a persistência. Aliás, esqueci de mencionar, o livro se passa em 1720. Acho que todo mundo sabe que a vida era assim naquela época, certo? A mulher era um objeto para ser usado pelos homens. Ter destaque entre eles? Nem pensar. Se libertar e expressar emocionalmente e sexualmente? HA! Muito menos... Entretanto, nossa mocinha se liberta desses paradigmas e nem de perto se porta como uma "lady". Como uma dama da época deveria se comportar. Se ela tem vontade de fazer algo vai lá e faz, simples assim. O que as pessoas veem como absurdo para ela é o normal, é o fora da hipocrisia e da submissão. 

  Além dessas características e outras, ela possui dons sobrenaturais que a permitem controlar os quatro elementos. A maioria das cenas em que a personagem usa o poder são eletrizantes, repletas de ação e muitas vezes tensão. Poucos sabem que ela possui tais habilidades, afinal, ela vive numa época em que se isso não fosse segredo, iria imediatamente para a fogueira como bruxa. Uma das vezes em que discute com seu pai, em decorrência do uso de seu dom (ele não gostava nem um pouco da ideia dela ser o que é) e fica arrasada, corre ao seu refúgio do estábulo, onde se sentia em paz. O "ótimo problema" é que lá há um estranho, que depois de um bom susto descobre ser Henry, novo empregado da casa responsável por cuidar dos cavalos. E imediatamente rola certa química entre eles, e daí se desenrolará um amor impossível delicioso  (a filha de um homem rico noiva de outro figurão, e um dos empregados do pai) e cheio de altas emoções. Sobre os aspectos do romance, Henry não foi para mim "o super galã - omg!", mas foi a pessoa certa para Evangeline, a amando e preenchendo, fazendo-a feliz. E isso é o que importa para mim para  que o romance seja bom, tem que ter amor de verdade e o casal tem que "se completar", um deve trazer algo para a vida do outro. E Henry traz coisas maravilhosas para Evangeline. Ele a ama como ninguém amou antes. É ele quem a toca com ternura. É o abraço dele que faz com que tudo fique bem, em segurança. É o cheiro dele que desperta nela aquela sensação que sentimos, a sensação que te impulsiona a ir até a pessoa amada, estar dentro dos braços dela onde tudo fica bem, em paz. Henry é o porto seguro de Evangeline, é aquele que lhe traz a felicidade verdadeira, pois dá a ela o verdadeiro amor. É aquele que faz loucuras para vê-la bem, por mais proibido e insano que seja o amor deles.  Além disso, posso citar que o romance tem uma boa dose "hot". Nada muito exagerado, mas tem bons detalhes. Se você não curte o tipo de literatura não se preocupe, o foco do livro de modo algum é esse. Só devem ter umas duas ou três cenas mais sensuais. E claro, tudo na escrita da Camila que faz o leitor flutuar para dentro dos corações dos personagens, sonhando com eles e se emocionando junto também. (suspiro...)

   Em meio a essa série de acontecimentos, Evangeline conhece Dorian, um misterioso homem que abre a ela um leque de possibilidades. Há a descoberta de um novo mundo, aos olhos da personagem. Aparecem novos personagens na trama, cheios de personalidade e incríveis no seu lado mais que especial. O lado sobrenatural de A Linhagem é ótimo. As possibilidades, a magia, o encanto prendem o leitor como uma onda de poder que precisa ser saciado. As ideias de dons são ótimas, fogem dos clichés, o que configura um mundo muito especial. Só não nos é dito um fundamento daquilo, de um motivo para as coisas serem como são. Então entendemos que simplesmente são assim e ponto, tinha que ser, então vamos nos conformar, caros personagens e leitores. O mais legal é que há o jogo do "poder". O que um homem é capaz de fazer quando tem poder e não conhece limites? Quando há maldade em seu coração e oportunidades para agir errado? E se você tivesse um dom que lhe desse várias possibilidades? O que faria? Esse é um dilema que vemos no livro. Dorian para mim foi um dos melhores personagens da obra. Seu jeito irônico, sua ousadia, seu charme... Tudo configura para que nos encantemos facilmente por ele. E claro, eu me encantei.

  Voltando ao contexto histórico, como eu disse, o livro se passa no século XVIII. Penso que isso poderia ter sido melhor aproveitado pela autora. Nós vemos pontos claros do contexto, mas senti que poderia ter tido o "algo mais" em relação ao contexto histórico. Mas como o foco do livro é a história de Evangeline, o que é muito bem desenvolvido, por sinal, esse detalhe não ganha relevância no que deve ser passado ao leitor, de fato, para que embarque na história. Entretanto, algo que gostei do contexto que fica claro no livro é o castigo para os acusados de bruxaria: a fogueira. A Igreja efetuava seus ataques ao que não compreendia, usando uma justificativa cega e sem cabimento. Uma religião que deveria falar do amor ensinado por Jesus que não usava esse amor, de fato. E a cada vez que vejo algo assim penso "ainda bem que a humanidade evolui ao longo do tempo". Já imaginou como deve ser viver num mundo assim? Sem opções de escolhas certas, sem liberdade, com hipocrisia de costumes e com toda essa pressão da Igreja? Isso sem falar no que surge no mesmo século: a Revolução Industrial. Que para os menos favorecidos gerou alto grau de exploração. Enfim, minha conclusão é a de que eu não gostaria muito de viver naquela época de fato, prefiro minhas viagens em livros (hihi...). 

  E principalmente, adorei viajar em A Linhagem. Aprendemos com Evangeline que devemos ter cuidado ao enfrentar nossos monstros para não nos tornamos um deles. Aprendemos a persistir e a ir atrás do que queremos com determinação, em busca da felicidade. Vemos como o amor pode salvar. Observamos em Evangeline aquele nosso lado "venenoso", traiçoeiro, das coisas que gostaríamos de dizer muitas vezes e não dizemos. Aquele lado das respostas inteligentes e afiadas. Ao mesmo tempo, em meio aos seus defeitos e qualidades, pegamos uma dose dela para a nossa vida. Uma dose de sua opção pela liberdade e pela felicidade. Uma dose do seu poder, que de tão bem descrito sentimos pulsar em nossas veias, muitas vezes. E contemplamos uma dose de cenas eletrizantes, de ação e suspense, daquela expectativa única de querer saber o que vai acontecer, e a pergunta de "quando as coisas vão melhorar?". 

  A Linhagem é, sem dúvida, uma leitura para te tirar o fôlego, seja nas cenas de ação e de poder de Evangeline, como nas cenas de amor entre ela e Henry. O amor é tão intenso, tão necessário para os dois, que é impossível não se ver torcendo para que fiquem juntos. A fantasia é bem elaborada, adequada ao mundo dela, o que faz com as coisas "casem" umas com as outras, de modo que o foco principal não é o romance, nem a fantasia, nem o drama, mas sim a mistura de tudo, que dá uma bela luta pela felicidade, repleta de emoções, sonhos e você saberá, caro leitor, se ler, se também é repleta de realizações. Mas principalmente, saiba mesmo antes de ler, que você aprenderá a persistir com este livro. Verá que você  pode errar, mas que pode haver uma solução, um caminho, uma luz de esperança. Aprenderá a lutar pela sua felicidade.




- Ouça a playlist aqui.

-Confira uma super entrevista com a autora
Onde comprar
Fanpage
- Participe do sorteio do livro com mais cinco outros livros. Clique aqui.


  Gostaria de deixar meus agradecimentos e sinceros desejos de sucesso à Camila Dornas, e dizer que para mim é uma grande felicidade tê-la como parceira do blog. Sucesso sempre! E que muitos se encantem e se inspirem com a história de Evangeline, que com toda certeza merece ser lida.

  E você? Gostou do livro? Deixe-me saber!! Comente!



 Beijos açucarados.

10 comentários:

  1. Oi Vivian,
    A resenha ficou grande mas ficou muito boa e completa, deu pra tirar todas as dúvidas do lvro é um gênero que gosto (essa mistura do fantástico com épocas antigas).

    Gosto muito desse contexto histórico, também não gostaria de viver naquela época, essa história de bruxaria e o trabalho forçado com a rev. industrial... que meedo!

    Vou colocar o livro na minha listinha, apesar de ser meio chata com romances gostei muito das intrigas da família dela e achei suas impressões muito interessantes, o jeito que você descreve como se sentiu com a leitura é muito legal. Parabéns!

    beijos
    O Vitrô

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba!! Fico feliz em saber que gostou. De verdade. :) Tento passar as informações certas para as pessoas decidirem se vão ler ou não, e passo o que peguei com o coração, do livro. Eu adoro romances! hehe... Não consigo ficar muito tempo sem ler um.. Sim, praticamente viciada, sério. u.u kkkkkkkk... Enfim, adorei sua visita, volte sempre, menina chique ruiva do canal do YouTube! kkkkkkk..

      Beijos. *u*

      Excluir
  2. Oiee Vivian, tudo bem?

    confesso que não me prendi nos detalhes da sua resenha pq to participando do Book Tour de A Linhagem. Sou a última, então vc pode imaginar a minha ansiedade, né?. Vejo sempre a galera falando muito bem do livro e acho o máximo quando a leitura vem junto de uma bonita mensagem, seja ela qual for: persistência, ame o próximo, ame as coisas pequenas da vida... acho que isso é que faz a leitura ser algo prazeroso e não "só mais um livro".

    beijos
    Kel
    porumaboaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade!! Concordo!! Depois trocamos opiniões.
      Beijos!

      Excluir
  3. Oi Viv!!
    Adorei a resenha!
    Há tempos quero ler esse livro! Ele está na minha lista, mas provavelmente não vou conseguir ler ele tão cedo =/
    Indiquei você para uma tag lá no blog =)
    Espero que goste!!

    http://garotaliber.blogspot.com.br/2013/08/tag-nacionais-da-minha-estante.html

    Beijoos
    Garota Liber

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba!! Farei assim que possível!!
      Obrigada!
      Beijos.
      :D

      Excluir
  4. Depois eu mesma digo que coincidências não existem...

    Uma amiga me indicou o livro e eu estava no Google procurando alguma resenha que me alegrasse ou não a comprá-lo quando, de repente, me deparo logo com a sua. E, com certeza, sua resenha me motivou e vou comprar ''A Linhagem''.

    PS:HAHAHA, não se espante, não leio tanto quanto você mas já te contei da minha paixão por livros!

    Obrigada pela resenha e parabéns!
    Beijos, muitos beijos.

    Jaque.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba!!! Adorei sua visita! hehe... Quando for assim pode me perguntar que é possível que eu tenha a resenha ou pelo menos algo a acrescentar sobre o livro! kkkk...
      Compra direto com a Camila! Vem autografado! Ela é muito fofa.

      Beijos e volte sempre!! xD

      Excluir
  5. Oie Vivian tudo bem?
    Eu ameeeeeeeeeeeeeei A Linhagem, achei a narrativa da Camila totalmente arrebatadora e envolvente, não conseguia parar de ler. hahaha! O enredo também ficou algo bem diferente. Gostaria que tivesse uma continuação. hahaha
    Beijos,
    Fernanda,
    Lendo & Esmaltando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai ter mais um livro nesse mundo... Eu senti a mesma coisa ao ler, o gosto de "quero mais".
      Beijos. xD

      Excluir

Comentem à vontade, reflitam bastante, se divirtam e suspirem. Por favor, respeitem as seguintes regras:

-Os comentários devem se referir ao post em questão.

-Comentários que só contém divulgação de blogs estão proibidos. Se quiserem, comentem e deixem o link do blog no final. Sempre respeitando, o espaço alheio.

Muito obrigada e voltem sempre.

.
© Reflexão Literária - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Vivian Pitança.
Tecnologia do Blogger.