08 abril 2014

Resenha: Divergente






Autora: Veronica Roth

Editora: Rocco

Páginas: 502

Assunto: Distopia, mundo organizado em facções, literatura estrangeira.
Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.










Abnegação, erudição e amizade... E também franqueza e audácia.




    Divergente é a primeira distopia que leio, e se todas forem tão boas quanto, posso dizer que serei apaixonada pelo gênero. O contexto em que a história se passa apresenta um lugar no futuro, em que a organização política, cultural e social mudou. Para se evitar conflitos, guerras e etc entre os homens, a sociedade foi divida em cinco facções, cada uma representando o que deveria melhorar no mundo, para a resolução de todos os problemas. São elas: abnegação (para quem quer extinguir o egoísmo), erudição (aos que acreditam na força do conhecimento), audácia (para os que se encontram na coragem), franqueza (verdade acima de tudo!) e amizade (aos que devotam tudo ao amor e à amizade). Todo indivíduo desta sociedade, ao completar 16 anos, precisa decidir qual a sua facção. Só que, naturalmente, eles nascem em uma, e ao mudar, mudam totalmente a vida que conhecia, deixando para trás até a família. E o livro nos conta a história de Beatrice, que está prestes a fazer o teste para saber qual sua facção. Ela é da abnegação, a facção que vive o real significado da palavra. Algo engraçado e que me fez refletir neste livro é que todas as facções seguem radicalmente a própria ideia. Então, os membros da abnegação vivem em prol dos outros, e nem se olham no espelho em defesa dos seus conceitos. Assim como os membros das outras abnegações seguem fielmente os seus conceitos. 

   Tris faz seu teste, e há algo errado com seu resultado. Ela é Divergente. Só que ela não sabe o que ser Divergente significa, só sabe que é um problema. Um grande problema. E diante disso, ela precisa escolher para qual facção irá. Não vou contar qual é a facção escolhida, porque uma coisa boa de se descobrir no livro - se você ainda não viu nenhuma imagem reveladora na internet ou já ouviu isso de alguém, ou claro, viu o trailer do filme - é descobrir justamente o que ela escolhe. Depois de escolher, ela passa a viver nessa fação, seguir a rotina dela. Todo membro de seja qual fação for é super apegado a ela. O que o une a ela é fator de personalidade. Então temos correntes ideológicas, culturais e políticas. E pessoas treinadas para acreditarem em tudo aquilo e aceitarem o sistema estipulado como o melhor possível sem questionar. Só que nessa sociedade há um mistério: o que há fora dos muros da cidade? Tris não faz ideia do que há no restante do mundo. Este é um daqueles momentos da história em que você percebe que há algo errado no ar. Aliás, há muitos momentos desse no livro. Você pensa bastante lendo, se diverte, se inspira e ainda fica intrigado para descobrir as diversas coisas que ficam no ar.


"...há um limite tênue entre a coragem e a estupidez!"


    O legal do livro, talvez, seja até característica do gênero, é que você vê aspectos daquele mundo explícitos, mas que também existem no nosso. Há diversas ideologias que querem nos docilizar, nos controlar, sistemas que tentam nos definir e a crença de que tal ou qual sejam os melhores. Crenças em soluções definitivas, quase utópicas na teoria, mas que se tornam distópicas na prática. Eu sempre imaginei que o problema do mundo, de tantos conflitos e problemas está no egoísmo do ser humano (é, eu sou um pouco da abnegação), mas esse livro me fez pensar a respeito da resolução por meio de qualidades humanas. E também a respeito do que são essas qualidades. Será que ser alguém que siga a abnegação é esquecer de si próprio, realmente? E ser da audácia? O que é a coragem? A reflexão sobre o que é a coragem é uma das melhores! Afinal, ainda temos esse dilema atualmente! Para alguns, a coragem consiste na defesa do orgulho, no ser o animal forte, que humilha o outro. Para mim não, para mim esse é o fraco. Para mim, o forte e corajoso é aquele que desafia os conceitos que a sociedade lhe ensina em busca do que seu coração diz. Que luta contra os seus instintos primitivos por amor. O nobre de caráter. Dentro do livro há esse retrato muito bem pintado, e a reflexão em aberto. Ok... talvez diante de tantos devaneios da blogueira, você pense que Divergente seja um livro quase filosófico, mas não. Ele retrata situações e deixa pequenos quotes de reflexão, até sutis, mas que eu não pude deixar passar. Afinal, o nome do blog não é por acaso. Divergente é um livro cheio de ação e situações em que a tensão aumenta e os personagens ficam diante de dilemas e desafios. Um livro com bastante ação, mas que também pode agradar as meninas mais românticas, porque também tem uma ponta de romance (que não é o foco aqui, mas que não deixa de ser importante). 




  "Corajoso? Ele seria corajoso se tivesse admitido sua fraqueza e deixado a Audácia, sem se importar com a vergonha que isso lhe traria. (...) morreu por orgulho: uma falha que está em todos os corações da Audácia. Inclusive no meu."



  Citando outros personagens presentes no enredo, além da família da protagonista, temos Quatro, Christina, Uriah, Eric... Cada um com suas características próprias e papéis na história. Dentre todos, o que mais gosto é o Quatro. Claro que ainda há antagonistas, que se eu revelasse seria uma uma chuva de spoilers, por isso, é melhor não comentar. Só posso dizer que eles também são bem elaborados. Por diversos fatores, Divergente não me deixou nada a desejar. Me fez pensar, rir, sorrir, suspirar, ficar aflita e super ansiosa por Insurgente. Um livro que fala sobre a coragem, sobre os extremos das características, e que me fez perceber que todo ser humano é divergente, ainda que não tenha descoberto que pode ser perigoso. Difícil de controlar, ameaçador, aquele que pensa fora do padrão, que gera a mudança e que tira o poder da hierarquia. Percebi também que sou da Abnegação, Erudição e Amizade. Mas que também tenho um pouco da Franqueza e da Audácia. Em outras palavras, sou um ser humano normal, com vários pedaços que fazem um todo. E você? Qual sua fação?










Confira o trailer (não se esqueça de que pode ter spoilers):








 Gostou da história? É fã de Divergente? Então não deixe de participar do nosso Top Comentarista que tem como prêmio uma camiseta do livro e uma capa de livro! 

















11 comentários:

  1. Olá, Vivian
    Adorei esse livro. Foi a primeira distopia que eu li e caí de amores pelo gênero. Amei o mundo criado pela autora.

    ResponderExcluir
  2. Oi Vivinha, tudo bem?

    Vocês insistiram tanto que eu li o livro. É realmente maravilhoso!! Pena que me decepcionei com o último. A distopia é ótima e tem partes de tirar o folego. E ah, tem QUATRO! E essa é uma parte bem significativa HUAHUAHUA

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Vivian, tudo bem??
    Nossa que demais tua resenha...Sou uma pessoa mega apaixonada por distopias e esta é um dos livros mais desejados que quero incluir na estante! Acho sua historia super diferente e nova, e me deixa super curiosa!! É uma das minhas metas para este ano!!
    Beijos ♥
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Vivian!
    É o próximo livro que quero ler.
    Ainda não tinha visto o trailler e adorei... Já deu pra perceber pra onde ela escolhe ir, hahaha

    Beijinhos
    Sou eu... Pri!

    ResponderExcluir
  5. Olá minha querida, tudo bem?
    Passando aqui para conhecer o seu cantinho, pois é a minha primeira vez em seu blog e tenho que dizer que fiquei encantada com o seu conteudo. Gostei bastante mesmo, até porque tenho procurado novos blogs não só para fazer amizade, mas para visitar também.
    Espero que possamos ser boas amigas e que vc possa me conhecer também pelo meu blog =]

    Em falando da sua resenha, ontem eu li 3 de DIVERGENTE pra vc ter uma ideia. Agora acho que tá sendo febre por causa do filme, mas sinceramente gostei bastante de tudo que vc escreveu sobre ele em sua resenha. Me interessou bastante. Completei a minha coleção em Março, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Espero ter um tempinho para fazer isso, porque queria fazer isso antes do filme, mas vai ser um pouco complicado pra acontecer hahahahaha. Mas que pelo menos eu goste né? Enfim....Parabens pela sua resenha e linda vou te seguir no GOOGLE+ e em suas redes sociais, se vc n me achar no GFC eu estou tendo problema de seguir alguns blogs. Mas vc pode verificar nos BLOGS QUE SIGO E RECOMENDO lá no meu cantinho. Seu cantinho vai tá lá. Se cuida querida e fica com Deus

    lovereadmybooks.blogspot.com.br - Depois me retribui =]

    ResponderExcluir
  6. Oi Vivian, tudo bem?

    Eu adoro esse livro - e sua continuação não deixa a desejar! Realmente, é um livro que nos faz suspirar, rir e pensar. E como não gostar do Quatro? Pelo amor, eita mocinho fofo demais ♥ hahaha

    Beijos

    Pah - Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  7. é um livro que eu quero muito ler, não só por se tratar de uma distopia, mas também por possuir uma história bem bacana. Porém, quero dar um tempinho.. Quero deixar a febre dele baixar para poder lê-lo. Tenho até medo de me decepcionar com a leitura, assim como aconteceu quando li ACEDE.
    bj, dréa

    ResponderExcluir
  8. Aonde será que você conseguiu esse livro, hein? uashuhasuhasuhuash
    Ameeei sua resenha, ela é brilhante! Já te disse que você escreve muuito bem? <3 Apesar de eu já ter lido A Seleção e ela ser distopia, eu não sei se gosto desse gênero. Começarei com Jogos Vorazes e vou ver se gosto, espero que sim. Vejo tantas notícias sobre Divergente que me deixa necessitada para ler esse livro, não sei se leio ou assisto o filme antes, e agora? uhasuhsuahas
    Beijos, beijos. *-*

    ResponderExcluir
  9. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos. Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história....acesse o link e digite a palavra reverso..www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp
    www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html‎

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Adorei a sua resenha!
    Estou louca para ler esse livro. Comprei e vai ser a minha próxima leitura. Estou na expectativa de que o livro seja realmente bom.
    Beijinhos!

    Www.eraumavezolivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Só tenho lido resenhas positivas em relação a esse livro e, a cada uma delas, minha curiosidade pra ler só aumenta. Sou fã de distopias, pois, como você disse, esse gênero trás essa crítica social bem forte, e nos faz refletir bastante em relação ao nosso tempo atual. Tenho certeza que você vai amar esse gênero, e te indico a ler a mais aclamada distopia: "Jogos Vorazes" e também dê uma conferida na trilogia "Delírio" da Lauren Oliver.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir

Comentem à vontade, reflitam bastante, se divirtam e suspirem. Por favor, respeitem as seguintes regras:

-Os comentários devem se referir ao post em questão.

-Comentários que só contém divulgação de blogs estão proibidos. Se quiserem, comentem e deixem o link do blog no final. Sempre respeitando, o espaço alheio.

Muito obrigada e voltem sempre.

.
© Reflexão Literária - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Vivian Pitança.
Tecnologia do Blogger.